Resumo do Projeto

Projeto

Em 14 de agosto de 2018, em Gênova, Itália, uma seção de 210 metros da Ponte Morandi de 1.182 metros sobre o rio Polcevera desmoronou de repente, destruindo edifícios abaixo e resultando em baixas e ferimentos. Embora a causa do colapso nunca tenha sido oficialmente determinada, a ponte tinha sido afetada por corrosão, e os reparos estavam programados para começar apenas semanas após o colapso. A estrutura restante do Viaduto Polcevera (agora conhecido como Viaduto San Giorgio) foi demolida em junho de 2019, mas como a ponte fazia parte de uma estrada chave que ligava a Itália à França e era um ponto de acesso principal para um aeroporto próximo, ela era vital para o bem-estar de Gênova. Para evitar o impacto econômico e cultural de longo prazo na área, as autoridades locais encarregaram a Italferr, com base em seus mais de 30 anos de projeto de pontes, de criar um novo espaço, seguindo, um cronograma apertado de três meses.

Solução

A Italferr estabeleceu um ambiente de dados opensource e conectado para gerenciar o fluxo de dados multidisciplinares e estabelecer métodos operacionais claros, enfatizando a colaboração. A empresa definiu padrões, modelos e critérios básicos para criar e organizar um gêmeo digital, incluindo informações no modelo que formaram a base para projeto, operação e construção. A modelagem computacional com um conjunto minimizado de informações — incluindo códigos de identificação de estrutura de detalhamento de trabalho (WBS), materiais de construção e dimensões — permitiu que a equipe criasse scripts 4D que otimizariam e automatizariam processos que antes precisavam ser concluídos manualmente.

Resultado

Ao incluir documentação detalhada no gêmeo digital e usar a visualização 4D para determinar marcos críticos de construção, a Italferr criou um documento para uso em todo o desenvolvimento e ajudou a definir e apertar o cronograma de construção. Designers de várias disciplinas contribuíram para um único iModel federado, que melhorou a detecção de confrontos e garantiu uma única fonte real. A criação de métodos operacionais eficientes dentro de um ambiente BIM permitiu à Italferr reduzir custos de projeto, acelerar a tomada de decisões, aumentar a precisão e melhorar a comunicação entre as equipes multidisciplinares.
Como resultado, a equipe reduziu o número de variantes no sistema e melhorou o projeto geral da ponte e sua estrutura.

Software

A Italferr usou o ProjectWise para criar um ambiente de dados opensoure e conectado, para garantir uma única fonte real, para que os epecialistas conseguissem atualizar rapidamento o projeto. A organização criou um projeto para toda a infraestrutura via MicroStation, OpenRoads e OpenBuildings Designer, fornecendo visualização para layout, obras civis e sistemas. A Italferr criou scripts dentro do SYNCHRO para automatizar processos e visualizar a evolução 4D do projeto. Outro conjunto de scripts dentro do OpenBuildings Designer permitiu que os designers colocassem automaticamente diafragmas no deck de metal principal do projeto.

Manual do Projeto: Descartes, gINT, iModel.js, LumenRT, MicroStation, Navigator, OpenBuildings Designer, OpenRoads, ProjectWise, SYNCHRO

Resultados/Fatos
  • Uma seção de 210 metros da Ponte Morandi desmoronou em 2018, cortando uma ligação de transporte vital, em Gênova.
  • Fluxos de trabalho eficientes em um ambiente multidisciplinar permitiram à Italferr concluir o projeto dentro de um cronograma apertado.
  • A visualização 4D da fase de construção permitiu que os designers identificassem melhores recursos e problemas críticos com antecedência, o que levou a um cronograma de construção mais rápido e eficiente.
Citação:
  • "A metodologia BIM usada neste projeto segue a abordagem de gêmeos digitais. A visibilidade e a percepção que nos permitiram alterar significativamente a forma como lidamos com o projeto e o gerenciamento do trabalho de infraestrutura."

    Daniela Aprea Gerente BIM Italferr S.p.A.